“Diagnóstico da Pessoas em Deficiência no Espírito Santo” foi o tema Painel Apae ES

foto destaque
APAE ES
29 de abril de 2024
O diagnóstico das pessoas com deficiência no Espírito Santo, assim como em qualquer outra região, é uma questão muito importante que envolve diversos aspectos, desde a identificação das deficiências até a avaliação das necessidades específicas de cada indivíduo.

No Espírito Santo, 6,7% da população são pessoas com deficiência. Essa é uma das muitas informações reunidas no Levantamento de Dados Socioeconômicos de Pessoas com Deficiência no Espírito Santo. O relatório permite uma visão ampla da realidade capixaba, sendo um documento importante para o desenvolvimento de políticas públicas para esta camada da população.

Para a convidada Maristela Lugon Arantes, Gerente de Políticas para PCD na Secretaria Estadual de Direitos Humanos, o material é muito importante para o nosso estado e ainda traz informações de vários segmentos, como saúde, educação, assistência social, mercado de trabalho e outros. “O relatório a avaliação das necessidades individuais de cada pessoa com deficiência, podendo incluir a realização de avaliações funcionais para determinar as habilidades e limitações de cada indivíduo, bem como identificar quais são os tipos de apoio e serviços necessários para promover sua inclusão e autonomia”, ressalta.

O levantamento, elaborado pela Secretaria de Direitos Humanos (SEDH), por meio da Gerência de Políticas para Pessoas com Deficiência, apresentou um diagnóstico que pode fazer uma grande diferença no desenvolvimento e na qualidade de vida das pessoas com deficiência daqui alguns anos, podendo garantir o acesso a intervenções e serviços adequados desde cedo, com a participação ativa das próprias pessoas com deficiência e de suas famílias.  

O Painel ES sobre “Diagnóstico da Pessoas em Deficiência no Espírito Santo” está disponível em nossa página do Youtube. Acesse https://www.youtube.com/watch?v=nwvVMbIkuJ4&t=3767s e assista o vídeo completo!
 
Realidade capixaba
Segundo os dados da pesquisa no Espírito Santo, 6,7% da população são pessoas com deficiência. Do total de 276.305 pessoas com deficiência, 50,6% são mulheres e 49,4% são homens, sendo que 114.825 se declararam brancas, 135.847 pardas, 23.042 pretas, 1.772 amarelas e 816 indígenas. Desse total, 50,8% têm deficiência visual, 24,2% motora, 13,8% mental/intelectual e 11,2% auditiva.

As cinco cidades onde há mais pessoas com deficiência são Serra (33.239), Vila Velha (30.117), Cariacica (27.128), Vitória (20.374) e Cachoeiro de Itapemirim (14.237).

Os dados revelam que, do montante, 19.607 têm de zero a quatro anos; 21.038, de cinco a nove anos; 23.722, de dez a 14 anos; 23.859, de 15 a 19 anos; 50.689, de 20 a 29 anos; 43.938, de 30 a 39 anos; 36.617, de 40 a 49 anos; 28.135, de 50 a 59 anos; e 28.700, de 60 anos ou mais.
 
Grau de escolaridade
A pesquisa mostra que, no Espírito Santo, 159.963 pessoas com deficiência não têm instrução ou têm o Ensino Fundamental incompleto; 40.971 têm o Ensino Fundamental completo e o Ensino Médio completo; 56.651 Ensino Médio completo e o Ensino Superior incompleto; e 18.720 têm o Superior completo.

Quanto ao estado civil das pessoas com deficiência, 137.966 afirmaram serem solteiros, 109.228 casados, 14.096 viúvos, 9.912 divorciados e 5.103 desquitados ou separados judicialmente.
 
Mercado de trabalho
O levantamento Socioeconômico destaca a ocupação das pessoas com deficiência. Do total de entrevistados, 128.803 se declararam como empregados e com Carteira de Trabalho assinada; 58.708 empregados sem carteira de trabalho assinada; 15.267 empregados pelo regime jurídico dos funcionários públicos; 61.926 trabalham por conta própria; 6.096 empregadores; 725 militares do Exército, Marinha, Aeronáutica, Polícia Militar do Espírito Santo (PMES) ou Corpo de Bombeiros Militar do Espírito Santo (CBMES); e 4.781 não remunerados.

O levantamento completo está disponível no link:  https://encurtador.com.br/jpLZ6